terça-feira, 9 de janeiro de 2018

PROMETE

Prometa que me amará,
E que me enganará,
Que me chamará...
Me chamará todas as noites,
E dias, e sempre
Promete?
Prometa que quando falar,
Use essa voz mansa, suave,
Que me leve a confundi-la com um pássaro a cantar,
Promete?
Prometa que quando me toque, me arrepie,
Me faça sentir como um rei, ou quem sabe um príncipe
Ou quem sabe eu mesmo, amado e acariciado,
Promete?
Prometa que quando a brisa passar por ti,
Traga teu cheiro, esse perfume fagueiro,
Que somente as manhãs orvalhadas podem trazer,
Promete.
me ilude,
Me dá a plenitude,
Amiúde,
Promete?
Prometa para sempre me fazer gozar,
De rir, de chorar e de amar,
E de amar, e de amar e de amar.
Promete?
Prometa
Me deixar contente,
Estar sempre sorridente,
Não ficar indiferente,
Ser assim, para sempre...
Promete?


Inspiração

Me inspirei,
Como sempre me inspiro
Quando penso em você,
Você que enche meu peito
Que me deixa desse jeito
Não me deixa adormecer,
Me inspirei
Como um poeta despudorado
Que tremo, arrepio, enlouqueço
Quando estou ao seu lado
Não te esqueço
Santo ou tarado
E sempre um aprendizado
Me inspirei
Talvez porque sozinho
Deitado neste meu ninho
Sem ter o calor teu
Sem ter o perfume teu
Mas tendo o pensamento seu.
Me inspirei
Como sempre me inspiro,
Quando fecho os olhos meus,
Para encontrar-me com os seus.

Marcos Tomaz

09/01/2018

LÁ VOU EU DE NOVO

E lá vou eu de novo,
Neste caminho sem fim,
Sem meio,
Sem início...
Caminho este de espinhos,
De flores em desalinho,
Caminho este de dor,
De amor,
Sem pudor,
E lá vou eu de novo,
Como se nunca tivesse vivido,
Como se nunca tivesse ido,
Como se nunca tivesse vindo,
Como se nunca tivesse estado,
Ficado,
Parado,
Amado...
Como se nunca tivesse amado,
E lá vou eu de novo,
Neste caminho de mim...
Neste caminho sem fim.

Marcos Tomaz

09/01/2018;

De repente

E de repente,
Surge você como o vento
Soprando forte sem um desalento
Na minha mente esquecida
Ágil como uma serpente
Abrindo mais minha ferida
Eu, que vivia contente
Só tinha amor em minha mente
Em minha paz adormecida

E de repente,
Você e o amor voraz
Tortura-me, pobre rapaz
Esse amor inconsequente
Forte, vivo, insolente
Não sabe do que é capaz
De tirar o sono da gente.
Não sabe do que é capaz,
De me fazer sonhar novamente;

Marcos Tomaz

09/01/2018

domingo, 31 de dezembro de 2017

Sacos de areia e balões

Às Vezes pensamos que a vida é como um balão, que está prestes a voar e achamos que ele esta no alto, bem no alto, quando na realidade ele não passou do teto de nossa casa, de nosso interior, na realidade, o balão nada mais é do que o que ficou em nosso pensamento e as cicatrizes do que vivemos, nada mais é do que nossa vivência,Quem perde o telhado ganha as estrelas. É Assim mesmo. As vezes você perde o que não queria, mas conquista o que nunca imaginou. Nem tudo depende de um tempo, mas de uma atitude”. E assim é a vida, muitas vezes não devemos pensar só no telhado, mas no balão da vida, esqueçamos do passado e soltemos os sacos de areia que seguram o nosso balão e deixemo-los ir, até onde ele puder alcançar, se não for as estrelas que seja o pico mais alto de qualquer montanha ou de qualquer lugar.
e tudo o que temos que fazer é entrar dentro desse balão e soltar os sacos de areia que o prendem, e deixar que o balão saia e suba até onde ele possa subir. Devemos sim soltar tais amarras e tornarmos balões livres, levemos nossos balões para fora de nosso interior e que o teto não seja simplesmente onde ele possa ir, mas o início de onde ele possa partir, o teto nem sempre é o final, o teto nem sempre é o máximo, nem sempre é onde as coisas terminam, o teto muitas vezes pode ser o final de uma fase e o início de outra, como diz Sóstenes Cruz, o pensador: “
Sejamos balões e não sacos de areia.

Marcos Tomaz
31/12/2017.

terça-feira, 15 de abril de 2014

TERIA SIDO TÃO DIFERENTE

Teria sido tão diferente...
Se aquele beijo não tivesse acontecido
E se aconteceu, que não tivesse morrido,
Teria sido tão diferente...
Se nosso olhar tivesse mantido
A mesma direção sem ter-se distraído,
Teria sido tão diferente...
Se nossos corpos não tivessem se aquecido
E se aqueceram que não tivesse rompido,
Que vontade de acabar com esse cupido!

Teria sido tão diferente...
Se fosse triste ao invés de contente
Que mostrasse lágrimas ao invés de sorridente
E não conhecesse tanta gente insolente,
Teria sido tão diferente...
Se fossemos sempre a gente
Se não tivéssemos rompido a corrente
E, de braços dados olhássemos o sol nascente
Teria sido tão diferente...
Se o tempo parasse assim tão derrepente
E tivesse tu, ali na minha frente!
Teria sido tão diferente...

MARCOS TOMAZ

15/04/2014 – 04,52.

terça-feira, 9 de abril de 2013

A SENHORA DO DESTINO


A Senhora do Destino.

Bom dia Senhora do Destino,
Do MEU destino...
Talvez por um desatino,
Desatento como um menino,
Mudaste o destino meu...
Para caminhar ao lado do teu.

Boa tarde Senhora do Destino,
Do SEU destino...
Com esse seu jeito traquino,
Esse olhar como de um felino,
Desviaste o destino seu...
Para caminhar junto do meu.

Boa noite Senhora do Destino,
Do nosso Destino...
Masculino ou feminino,
Chegando assim, repentino,
Pegando a nós de inopino,
Desencaminhaste o destino nosso...
Para seguirmos como se fosse o Vosso.


Marcos Tomaz, 9/4/2013 - 0.48